Qual a relação do intestino com as doenças metabólicas ou até mesmo com alterações do trato gastrointestinal?

 

 

Quando falamos em fatores maléficos para a saúde intestinal, o artigo escrito por Ana M Valdez et al aborda bem essa questão. O artigo cita como fatores prejudiciais ao intestino a alteração de ph, o consumo excessivo de proteínas ou a má disgestibiliade da mesma, consumo abusivo de açúcar e gordura saturada e o uso indiscriminado dos inibidores da bomba de prótons e antibióticos.

Todos esses fatores podem causar uma diminuição na produção de ácido graxo de cadeia curta (SCFA), principalmente o Butirato, que é produzido por fibras alimentares intestinais. Assim como, pode ocorrer um aumento da produção de TMAO, um metabólico hepático derivado de uma enzima chamada flavina monooxigenase, e quanto mais TMAO maior é a probabilidade de ocorrer doenças cardiovasculares.

Outro evento descrito é o aumento da produção de Lipopolissacarídeo (LPS), causado pelo baixo consumo de fibras, e por um consumo excessivo de açúcares, gorduras saturadas e proteínas. As bactérias potencialmente patogênicas são as produtoras desse LPS e metabolizam as proteínas provenientes da dieta. Esses bactérias causam inflamação no intestino pois propiciam uma endotoxicemia metabólica, assim, aumentando a resistência à insulina.

A alteração na capacidade cognitiva pode ocorrer em função da alteração no metabolismo do Triptofano aumentando a produção de Indol que estimula a via do Ácido Quinúrico, que é contrária à via de transformação do Triptofano em Serotonina, assim podendo alterar a capacidade cognitiva.

Hoje em dia já se sabe da importância da mudanças de hábitos alimentares para a saúde intestinal. Uma dieta rica em fibras e o uso rotineiro de Probióticos são hoje as ferramentas mais adequadas para resgatar a Homeostase intestinal. Através do uso de Probióticos e do aumento no consumo de fibras, há uma maior oferta de SCFA ao intestino, assim como, de antioxidantes,  fazendo com que haja um equilíbrio lipídico, redução da inflamação intestinal, assim,  melhorando a sensibilidade insulínica e reduzindo o risco de infecções do Trato Gastrointestinal.

 

Fonte: Role of the gut microbiota in nutrition and health

Deixe seu comentário.