Efeito da suplementação de CoQ10 nos marcadores inflamatórios

 

Evidências de estudos anteriores indicaram que a inflamação desempenha um papel importante em numerosas doenças, como doenças cardiovasculares (DCV), doença renal crônica, diabetes tipo 2, doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) e câncer. Proteína C-reativa (PCR), interleucina-6 (IL-6) e fator de necrose tumoral pertencem a um conjunto de marcadores gerais de inflamação. Níveis elevados desses marcadores inflamatórios não só aumentam o risco de doenças crônicas, mas também contribuem para a patogênese da doença. A redução da inflamação tem sido reconhecida como uma das formas de reduzir o risco dessas doenças crônicas.

A CoQ10 desempenha um papel fundamental na cadeia respiratória mitocondrial para a produção celular de trifosfato de adenosina (ATP). CoQ10 é um antioxidante intracelular e pode ser sintetizado endogenamente por todas as células do nosso corpo, ou pode ser obtido naturalmente a partir da dieta. A CoQ10 mantém as proteínas mitocondriais, os fosfolipídios da membrana e o colesterol da lipoproteína de baixa densidade (LDL-C) a salvo dos danos oxidativos induzidos por radicais livres. O estresse oxidativo está intimamente relacionado à inflamação, e um deles pode ser facilmente induzido por outro. Portanto, os antioxidantes que visam tanto o estresse oxidativo quanto a inflamação podem ser mais eficazes na prevenção ou tratamento de doenças. 

Para avaliar os efeitos da suplementação com coenzima Q10 (CoQ10), dezessete ensaios clínicos randomizados foram selecionados para a realização de uma meta-análises que sugeriu efeitos redutores significativos da CoQ10 na PCR, IL-6 e TNF. Entretanto, os resultados devem ser interpretados com cautela devido à evidência de heterogeneidade e número limitado de estudos.

 

Fonte: L. Fan et al. / Pharmacological Research 119 (2017) 128–136 129.

Deixe seu comentário.