Possíveis complicações da Nutrição Enteral domiciliar


 

A alimentação enteral continua sendo o método preferido para suporte nutricional, quando comparado com a nutrição parenteral, em ambientes hospitalares e ambulatoriais.

Os pacientes neoplásicos de cabeça, pescoço ou trato gastrointestinal apresentam sua ingestão oral inadequada ou inexistente e não conseguem alcançar suas metas calóricas e a colocação de um dispositivo de acesso entérico para a entrega de nutrição enteral (NE ) deve ser considerada.

Atualmente acredita-se que a NE domiciliar apresente melhores resultados em comparação a Nutrição Parenteral (NP) doméstica em relação à morbidade, mortalidade e taxas de readmissão.

Após a eventual transição do hospital para o ambiente domiciliar, podem surgir vários problemas, que podem gerar ansiedade e levar à morbidade nessa população de pacientes quando tubos de alimentação estão presentes. Embora a maioria dos problemas com sonda possa ser resolvida em casa, quase um quarto dos pacientes é readmitido nos primeiros seis meses após a transição para o ambiente domiciliar. As complicações mais comuns incluem desarticulação do tubo, obstrução ou oclusão, dermatite peristomal, crescimento de tecido de hipergranulação, vazamento e diarréia.

Complicações são tipicamente classificadas como mecânicas (relacionadas ao tubo), gastrointestinais (diarréia, refluxo, aspiração, etc.) e de natureza metabólica. Independentemente do tipo de tubo e da indicação da NE domiciliar, as equipes multidisciplinares dedicadas ao cuidado desses pacientes são essenciais para reduzir as readmissões e resolver as complicações à medida que elas surgem. Deve-se enfatizar que a simples presença de um tubo não melhora inerentemente o bem-estar geral ou o estado nutricional do paciente, para isso, o mesmo deve ser utilizado adequadamente. Entre os adultos mais velhos (idade média de 68 anos) recebendo Nutrição Enteral domiciliar sem acompanhamento rigoroso, a taxa de complicações e o risco de perda de peso tendem a aumentar, assim como, a ingestão  hídrica tende a atingir a metade de suas necessidades. 

Os médicos e as equipes multidisciplinares que cuidam desses pacientes devem estar cientes dos meandros dessas questões comumente encontradas, mas todos os profissionais de saúde devem ter conhecimento básico sobre o manejo inicial das complicações.

 

Fonte: Strollo et al. Complications of Home Enteral Nutrition: Mechanical Complications and Access Issues in the Home Setting. Nutrition in Clinical Practice, 2017.

Deixe seu comentário.