RSS

Blog

Diarreia e vômitos em pacientes sob Nutrição Enteral, a culpa é da dieta?

 

 

Frequentemente na prática clínica nos defrontamos com essa situação: o paciente sob uso de Nutrição Enteral (NE) apresentando sintomas gastrointestinais, especialmente diarréia ou vômito, e tem a dieta suspensa como primeira medida.

Apesar de ser conduta frequente, os estudos mostram que as medicações utilizadas pelo paciente são as principais responsáveis por tais sintomas. Um estudo brasileiro apontou que, dos 38,9% de pacientes sob NE que apresentaram diarreia, esta estava relacionada com o uso de medicações em 80,5% dos casos. Por sua vez, dos 16,8% de pacientes que apresentam vômitos, em 87,6% a causa também era a medicação em uso.

Outros fatores que possam estar relacionados com o surgimento de diarréia são: redução da superfície absortiva, edema de alça intestinal, redução do tempo de trânsito, hipersecreção gástrica ou colônica e supercrescimento bacteriano. A alta osmolaridade da fórmula de NE aparece como agente causador em menos de 20% dos casos.

 

Nutrição Enteral Domiciliar: tolerância, segurança e eficácia

 

 

Há mais de duas décadas estão disponíveis recursos completos para a prática da Nutrição Enteral no Brasil que incluem dietas prontas para uso com composição definida e permitem uma terapia nutricional enteral segura e confiável, com qualidade e controle, tanto no ambiente hospitalar quanto no domicílio.

A idéia de que as dietas artesanais são mais baratas quando comparadas com as dietas enterais industrializadas é defendida por muitos. No entanto, há evidências de que com as dietas artesanais a contaminação pode ser maior, assim como a instabilidade física e química por serem manipuladas. A densidade ideal de calorias e proteínas é difícil de alcançar, enquanto o perfil de macro e micronutrientes raramente atende a todas as exigências dos pacientes.

Para a seleção de dietas enterais, as fórmulas com densidade energética normal e com baixa osmolalidade são propostas para a maioria dos adultos e idosos que recebem Nutrição Enteral Domiciliar com boa tolerância. A maioria das fórmulas padrão satisfaz 100% da ingestão dietética de referência de vitaminas e minerais, quando fornecidas em volume adequado. De fato, as fórmulas enterais industrializadas apresentam mais tolerância, segurança e eficácia quando comparadas as dietas artesanais.

Colágeno hidrolisado e treinamento de resistência na melhora da força muscular em homens com sarcopenia

 

A suplementação de proteínas em combinação com treinamento de resistência pode aumentar a massa e a força muscular em indivíduos idosos. Zdzieblik et al, com o objetivo de avaliar a influência da suplementação proteica com peptídeos de colágeno pós-exercício de resistência na massa e função muscular em idosos com sarcopenia realizou um estudo onde todos os participantes apresentaram níveis significativamente mais elevados para massa livre de gordura, massa óssea, força isocinética do quadríceps e controle sensorial motor após um programa de treinamento. Níveis mais baixos de massa gorda também foram encontrados nos participantes. A suplementação com peptídeo de colágeno em combinação com treinamento de resistência melhorou ainda mais a composição corporal em comparação com o placebo.

 

Artigo na íntegra: Zdzieblik et al. Collagen peptide supplementation in combination with resistance training improves boda composition and increases muscle strength in elderly sarcopenic men: a randomized controlled trial. British Journal of Nutrition. 2015; 114: 1237-1245