RSS

Blog

Whey Protein Isolate - Praticidade e Segurança na medida certa

 

Whey Protein Isolate é uma fonte de proteínas de alto valor biológico, obtida a partir das proteínas do leite. Apresenta alta solubilidade em água, excelente digestibilidade e não altera o sabor dos alimentos. Contribui para a manutenção e aumento da massa muscular, melhora o balanço nitrogenado; atua na síntese proteica e no sistema imune. Indicado na prevenção e tratamento de fraqueza adquirida em ambiente hospitalar, sarcopenia e desnutrição.

 

Por ter sua apresentação em forma de sachê, apresenta como benefícios praticidade de uso a “beira do leito” e otimização de rotinas e processos de manipulação. É extraído por elevado processo tecnológico de isolamento de proteínas envolvendo ultrafiltração, microfiltração e nanofiltração e possui 92% de proteína de alto valor biológico com baixa dosagem de sódio.

 

Recuperação do Paciente Cirúrgico - Imunonutrição

 


O preparo do paciente deve ser feito de forma precoce e continuar durante e pós cirurgia. Para isso, é importante uma equipe multidisciplinar para avaliar o paciente como um todo. A avaliação do estado nutricional faz parte do planejamento operatório e muitas vezes se torna neglicenciada fazendo com que haja uma dissociação entre recomendações de estudos e a prática clínica.

Para ajudar na imunonutrição desse paciente pós trauma cirúrgico, principalmente pós cirurgias de grande porte, onde a resposta inflamatória é maior, alguns nutrientes específicos são utilizados para modular essa resposta inflamatória e promover a síntese proteica, como a Arginina, os Ácidos Graxos Ômega 3 e os Nucleotídeos. Esses nutrientes agem estimulando o sistema imunológico, responsável pela defesa do nosso organismo aos agentes agressores. 

A Arginina aumenta a atividade dos linfócitos e macrófagos, assim como, participa da síntese de óxido nítrico e da síntese de colágeno agindo direto na cicatrização. Em relação aos Ácidos Graxos Ômega 3, principal moduladores da resposta inflamatória, os mesmos alteram a composição da membrana celular e a produção de citocinas, além de participarem da síntese de mediadores inflamatórios, como leucotrienos, prostaglandinas e tromboxanos. Já os Nucleotídeos apresentam relação com a produção de DNA e RNA.

Existem evidências de que se atuarmos no pré e pós operatório, esse paciente terá redução de complicações infecciosas e de feridas operatórias; redução do tempo de internação hospitalar e custos, além disso, redução dos níveis dos marcadores inflamatórios (PCR e IL-6). Dezesseis meta-análises e revisões sistemáticas em pacientes cirúrgicos nos últimos 20 anos tem demonstrado vantagens do uso de uma dieta imunomoduladora  pré e pós operatória.

Hoje em dia, encontramos nos Guidelines para cirurgia recomendações de uso de fórmula imunomoduladora na redução de infecções, tempo de internação hospitalar e de outras complicações em pacientes submetidos à cirurgias.

 

Probióticos na saúde da mulher

 

A atuação dos probióticos na saúde da mulher representa uma área de pesquisa em plena expansão. A terapêutica com probióticos é considerada como natural e ressurgiu como prevenção e tratamento de infecções do trato gastrointestinal e urogenital.

A vulvovaginite por Candida albicans, a vaginose bacteriana e a infecção do aparelho urinário são patologias de elevada prevalência na população feminina, contra as quais os lactobacilos demonstraram ter uma função preventiva muito importante. O uso de probióticos deve ser considerado em mulheres com candidíase recorrente e naquelas com contraindicações ou efeitos adversos a terapêutica antifúngica. Os probióticos também podem ser indicados sempre que seja necessária a administração de antibióticos, para diminuir os riscos de vulvovaginite por cândida, associado a perturbações da microflora protetora vaginal pelo antibiótico.

A depleção de lactobacilos na vaginose bacteriana favorece a recolonização com micro-organismos patogênicos, permitindo as recorrências. Estudos clínicos randomizados sugerem que a administração oral de Lactobacillus acidophilus é capaz de aumentar o número de lactobacilos vaginais, restaurar a flora microbiota vaginal e melhorar as taxas de cura nas mulheres tratadas com probióticos associados à terapêutica específica.

Embora a vaginose bacteriana e a vulvovaginite por cândida sejam patologias muito frequentes, são escassos os estudos duplo cegos, randomizados, com grupo controle com placebo, que avaliem a eficácia dos probióticos nestas infecções.

Atualmente, já dispomos de produtos de excelência, que aliados a hábitos saudáveis de vida e alimentação adequada, contribuem para melhorar a saúde, o bem-estar e a qualidade de vida dos seres humanos.